O que é Osteopatia?

Osteopatas tratam as pessoas e não as doenças.

O osteopata vai procurar equilibrar o corpo do paciente, para que o corpo tenha condições de se defender mediante as patologias. Buscamos, durante o tratamento, favorecer os processos de cura que são inatos do corpo.

Faz parte do raciocínio osteopático um amplo conhecimento do corpo humano e todos os processos envolvidos em seu funcionamento. Esta abordagem, manual, é baseada na anatomia e na fisiologia humana.

O movimento de todos os tecidos devem ser equilibrados, ou seja, um tecido deve ter a liberdade de movimento que seja ideal para a sua função. Se tiver um excesso de movimento ou a falta do movimento necessário para realizer sua função, este tecido estará mediante situação de estresse, seja no próprio local ou em regiões adjacentes. O osteopata, mediante seu conhecimento irá buscar estes percalços na movimentação dos tecidos e aliar a todo o raciocínio da patologia que o paciente apresenta. Com estas informações, será realizada uma abordagem para que os tecidos recuperem sua mobilidade normal, fazendo com que obtenham o equilíbrio necessário para se defender das agressões sofridas, que são as geradoras de sintomas.

No texto a seguir temos definições sobre a osteopatia de diversos autores, para que tenhamos uma maior abrangência nas definições, e ao mesmo tempo, entender que os objetivos da osteopatia são sempre os mesmos: a busca do equilíbrio e da saúde.

Andrew Taylor Still, o criador da Osteopatia definiu: “...é um conhecimento científico de anatomia e fisiologia em mãos de uma pessoa com inteligência e destreza que pode aplicar este conhecimento para uso do homem que se encontra aflito ou machucado por distensões, golpes, quedas, transtornos mecânicos ou lesões corporais de qualquer tipo”. Complementando ele conclui: “A Osteopatia se baseia na perfeição da obra da natureza. Quando todas as partes do corpo humano estão alinhadas, gozamos de saúde. Quando não estão, o efeito é a doença. Quando se reajustam as partes, a doença cede passagem para a saúde. O trabalho do Osteopata está em ajustar o corpo para que se passe da situação anormal para normal; assim, os estados anormais cedem espaço aos normais e a saúde é a consequência do estado normal”.

No glossário de terminologia osteopática escrito pela AACOM (The American Association of Colleges of Osteopathic Medicine): a definição é: “A aplicação terapêutica de forças guiadas manualmente por osteopatas para melhorar a função fisiológica e/ou ajudar a homeostase que tenha sido alterada pela disfunção somática. (1)

Segundo a AOA (American Osteopathic Association) “A osteopatia é um tratamento manual. As mãos são utilizadas para diagnosticar, tratar e prevenir as doenças ou lesões. Utilizando a Osteopatia o osteopata irá mover seus músculos e articulações utilizando técnicas específicas…” (2)

Já a Escola de Osteopatia de Madrid (EOM) definiu a osteopatia: “…Se trata de uma terapia manual que ajuda a aliviar, corrigir e recuperar lesões musculoesqueléticas e patologias orgânicas. A intervenção osteopática realiza um diagnóstico funcional a partir da qual utiliza um conjunto de métodos e técnicas com finalidade terapêutica e/ou preventiva que aplicados manualmente sobre os tecidos musculares, articulares, conjuntivos, nervosos, etc, obtendo de forma direta ou reflexa, reações fisiológicas que equilibram e normalizam as diferentes alterações musculares , osteoarticulares, orgânicas e funcionais, melhorando ou resolvendo o quadro clinico e atuando especialmente em suas manifestações dolorosas”.(3)

Como a Osteopatia atua em diferentes tecidos corporais, foi classificado, para fins didáticos, em três grandes divisões de técnicas: A Osteopatia Estrutural, a Osteopatia Visceral e a Osteopatia Craniana.

Osteopatia Estrutural, que é direcionada ao sistema musculoesquelético, onde se aplicam diferentes técnicas adaptadas a cada disfunção, a cada tecido, a cada paciente...”. (3)

“Osteopatia Visceral é direcionada a atuar sobre os tecidos que participam nas funções das vísceras, as membranas fibrosas relacionadas, os músculos, os diferentes planos de deslizamento entre os órgãos, os vasos sanguíneos e os nervos. Todos os tecidos que asseguram o funcionamento orgânico devem estar livres em seu local anatômico. Quando não estão livres, os motivos podem ser devido a aderências e trações miofasciais que dificultam a mobilidade das vísceras. As técnicas manuais viscerais ajudam a liberar interrupções no fluxo de mobilidade, o que oferece ao organismo uma base funcional mais útil, produtiva e saudável”. (3)

“Osteopatia Cranial e Terapia Crânio sacral que atuam também mediante técnicas manuais que liberam e facilitam a micromobilidade do crânio e o conjunto das relações crânio sacras através das meninges e do líquor”. (3)

A Escola Européia de Osteopatia (ESO) define a osteopatia como um sistema de diagnóstico e tratamento para uma gama de condições médicas. Baseia-se no princípio que a estrutura e a função do corpo estão inter-relacionadas, e isso pode ter um efeito na saúde do corpo e bem estar. Osteopatas usam uma variedade de técnicas incluindo manipulações, Streching e manobras miofaciais, para ajudar a reduzir a dor, aumentar a mobilidade das articulações, aliviar a tensão muscular e melhorar o fornecimento de sangue para os tecidos incentivando os próprios mecanismos de cura do corpo. Os Osteopatas podem ainda orientar sobre postura, estilo de vida, ergonomia e exercícios. (4)

Link para o texto acima em PDF: O que é Osteopatia?

Disponível em:

(1) http://www.aacom.org/resources/bookstore/Pages/glossary.aspx

(2) https://www.osteopathic.org/osteopathic-health/treatment/Pages/default.aspx

(3) http://www.escuelaosteopatiamadrid.com/es/osteopatia/ique-es-osteopatia.html

(4) http://www.eso.ac.uk/what_is_osteopathy.html

Comentários

Escreva abaixo seus comentários